O pior já passou?

Todos nós vivemos nos últimos quarenta dias períodos de incredulidade, períodos de medos, períodos de desespero, períodos de monotonia e de muita insegurança.

Aos poucos, muitos hábitos foram se inserindo na nossa vida.

Etiqueta respiratória, higiene dos sapatos, higiene das roupas, higiene da casa, higiene dos alimentos.

Com certeza, isto tudo mudou para melhor, pois as doenças bacterianas e virais sempre estiveram por aí.

Quem não lembra dos sapatos do lado de fora da porta da casa da nossa avó?

Quem não lembra do avô sempre com um lenço no bolso?

Quem não lembra da nossa mãe colocando as roupas no sol?

Estes hábitos já existiam, nós é que fomos deixando de seguir estas regras que sempre foram tão importantes.

Hoje, o governo está flexibilizando a economia e aos poucos as pessoas estão tendo que sair de casa novamente.

Com medo, com euforia, cada um da sua forma vai ter que voltar ao mercado de trabalho. Com emprego ou sem emprego, a vida vai continuar. O vírus vai continuar aí também, nos rondando.

O que posso fazer então?

Primeiro, você deve fazer uma relação do que é importante você fazer para evitar uma possível contaminação, em casa ou fora e como manter os hábitos no seu dia-a-dia.

CASA

Sua casa deve continuar sendo aberta diariamente, arejada, limpa e, principalmente as bancadas de cozinha limpas com álcool 70 após o uso.

Seus calçados devem continuar ficando pelo lado de fora da casa, suas roupas usadas na rua lavadas assim que chegar em casa.

TRABALHO

Para ir ao trabalho, você deve sair de casa de máscara, deve ter álcool gel na bolsa, no carro, no seu posto de trabalho e usá-lo constantemente.

Mesmo que você tenha intimidade com os colegas, não deixe de usar a máscara, principalmente se você tiver contato direto com os clientes.

Tenha também um spray de álcool 70 e higienize constantemente sua área de trabalho. Não fique neurótico, divirta-se com isto, combine a cor da máscara com a sua roupa, combine a cor do seu spray de álcool 70 com o frasco de álcool gel. Os meus, é claro, são todos cor-de-rosa… amo.

LAZER

Bem, se há uma coisa que você deve ter aprendido nesta época de quarentena é que aglomerações não são uma boa opção em época de pandemia. Se o seu lazer era ir a pubs, festas, e outras diversões com um grande número de pessoas, esqueça! O lazer ideal é o que você aprendeu nestes dias, ler um bom livro, assistir bons filmes, curtir a casa e a família.

ALIMENTAÇÃO

Bem, chegou a grande hora, subir na balança, medir a sua circunferência abdominal e verificar o estrago de tantos dias em casa… Muitos dias sem atividade física… Uma coisa é certa: você precisa voltar para o seu ritmo, alimentação equilibrada ( agora mais do que nunca!!!) e atividade adequada.

Vamos guardar as forminhas de cupcakes, as formas de bolo e encher a nossa casa de frutas, verduras e legumes.

O que o seu corpo precisa agora?

De alimentos reguladores, é como chamamos as fibras, vitaminas e sais minerais. E isto só encontramos nestes alimentos, portanto, coloque em cada refeição muita cor:

CAFÉ DA MANHÃ: frutas, sucos

LANCHES: frutas e iogurtes

ALMOÇO E JANTAR: saladas, legumes, frutas e sucos

Se você já tem uma orientação alimentar, volte a segui-la, busque ajuda profissional, presencial ou online, tudo é válido nesta hora.

Aos que tem mais de 60 anos, a regra ainda é ficar em casa.

Temos mais alguns meses difíceis pela frente, acredite.

Você precisar acreditar que não vamos voltar ao normal, vamos fazer um caminho novo, mais cuidadoso, mais saudável e humano.

MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA

Como equilibrar sua dieta no isolamento?

Todos sabemos que, ao evitar de sair de casa, ao evitar o risco de recebermos comida, vamos diminuindo as opções de alimentos para ofertar a nossa família.

Tenho postado comidinhas básicas e econômicas e uma colega perguntou: o que fazer para consumir frutas, legumes e verduras nesta época em que os comerciantes tentam ganhar aumentando os preços? A resposta volta ao que deveríamos ter feito sempre: valorizar o produtor local, buscar nas feirinhas ou receber em casa, pois os pequenos produtores tem até rede social hoje em dia… Ao ajudar o pequeno produtor você ajuda pequenas famílias e evita que os grandes comerciantes comprem dele e revendam a preços bem maiores. Isto sem falar na qualidade nutricional, pois o alimento que está nas gôndolas dos grandes supermercados fez longos trajetos para estar ali, e a cada minuto que passa, o valor nutricional vai se alterando.

Para quem mora em casa, a horta caseira também pode ser uma opção, para quem mora em apartamento, os vasos podem garantir os temperos, chás e mini-vegetais.

Nestes tempos de coronavírus e isolamento, temos vivido com o que brota no nosso solo, podendo suprir o nosso restaurante e a família toda com verduras e frutas cítricas tão importantes agora neste período em que precisamos de imunidade.

Sempre falo que moramos em um país perfeito.  No verão, quando precisamos de hidratação temos melão, melancia e abacaxi como carros-chefe da safra, perfeitos, ricos em vitaminas e sais minerais.

Agora, nesta época em que o frio começa a aparecer, a nossa safra nos presenteia com as frutas cítricas como limão, laranja e bergamota (ou mexerica), frutas ricas em vitamina C, tão importante na prevenção de doenças.

É, meus caros, é hora de voltarmos às raízes, colocarmos a mão na terra e na consciência, talvez seja isto que o isolamento pode nos ensinar…

MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA

(DES) ABASTECIMENTO EM TEMPOS DE CRISE

Quem me segue nas redes sociais sabe que adoro uma receitinha…

Mas acho que chegou a hora de olharmos para dentro das nossas casas e listar o que temos de alimentos e manter o suficiente para o período que teremos que ficar um casa.

Não é hora de desperdiçar alimentos fazendo receitas novas de doces, ou comidas excêntricas para se “divertir” no período de isolamento, mas sim de fazer o aproveitamento dos alimentos da estação.

É hora de voltarmos ao “bom e velho arroz com feijão”. Ensinar nossos filhos a fazerem pratos equilibrados com arroz, feijão, carne e legumes. É disto o que precisamos agora.

Postar receitas com múltiplos ingredientes, cometer excessos ou comidas de calorias vazias como doces ou bebidas não me parece uma boa atitude para quem não sabe por quanto tempo teremos que ficar dentro de casa…

O inverno se aproxima, precisamos ajustar a quantidade de alimentos que precisamos.

É claro que os mercados não vão conseguir abastecer todos os insumos… a maior parte das pessoas alimentava-se diariamente nos restaurantes que estão fechando dia a dia. E agora as casas que não recebiam nenhum individuo para o almoço, agora contam com a família inteira todos os dias para todas as refeições…

Educação alimentar, economizar para não faltar.

Assustador ver as pessoas esvaziando as prateleiras e enchendo os porta-malas de refrigerantes ou bebidas alcoólicas… 

Consciência, pessoal.

Vamos lembrar das refeições que a nossa mãe servia em casa, comida de verdade!

É o que precisamos agora para enfrentar a crise, vamos esquecer as firulas gastronômicas e pensar em nossa saúde…

O primeiro alimento da humanidade é o pão, “o pão nosso de cada dia”. Tarefa que nossas mães faziam tranquilamente e que hoje transformamos no simples ato de pegar um pacote no mercado e colocar no carrinho. ‘Largamos” no armário da nossa casa e deixamos lá, “para quem quiser”.  Esquecemos a importância de sentarmos juntos a mesa e dividirmos o pão com a nossa família.

Por isto, aí vai a receitinha do pão que fiz ontem, rende dois pães, um você usa e o outro você embala direitinho e congela, para descongelar, é só tirar do freezer uma horinha antes de servir.

PÃO INTEGRAL CASEIRO

Ingredientes:

2 colheres (sopa) de açúcar mascavo

25 g de fermento fresco para pão

400 ml de água morna

100 ml de óleo de girassol

1 colher (sobremesa) de sal

2 xícaras de farinha de trigo integral

1 xícara (chá) de aveia

1/2 xícara (chá) de gérmen de trigo

1 xícara (café) de semente de linhaça

farinha de trigo até dar o ponto

Modo de Preparo:

Em um bowl, misture o fermento com o açúcar, adicione a água morna e acrescente mexendo sempre os outros ingredientes.
Em uma superfície lisa e enfarinhada, sove bem a massa e deixe crescer até dobrar de volume.
Faça uma bolinha com a massa e forme os pães, coloque em forma de pão ( se for de silicone não precisa nem untar).
Deixe crescer novamente.
Leve ao forno a 200º C, por aproximadamente 30 a 45 minutos (observe, já que o tempo pode ser alterado, dependendo do forno).

É isto, comidas simples para enfrentar situações complexas. 

DRA. MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA