A COMIDA DA BAHIA SE RECRIA COM SAÚDE

A comida baiana é a cara do Brasil.

É a raiz de toda a culinária brasileira.

Vir a Salvador e ensinar Gastronomia Saudável é o máximo da carreira de uma NutriChef!

Junto com o trabalho, conhecer ou reviver os pratos da região, como acarajé, abará, bolo de milho, vatapá, caruru, feijão verde, entre tantas outras delícias, nos faz pensar em nossas origens, em como os alimentos foram explorados ao seu máximo e como a cultura baiana conseguiu explorar tantas delícias de uma simples raiz como a mandioca. Dela temos os pratos mais deliciosos desta terra: tapioca, cuscuz de tapioca, crepioca, beijú, bolo de mandioca, bolo de tapioca, sorvete de tapioca, bolo de carimã ou puba, biscoito de polvilho/arpoador, dadinhos de tapioca com , camarão encapotado de tapioca, coxinha empanada na tapioca, escondidinho de carne de sol, mingau de tapioca, bolinho de estudante, pirão, beijo enrolado na folha de bananeira, pão de tapioca, maniçoba.

Quem não conhece, merece a oportunidade de um dia conhecer a origem da nossa comida brasileira.

Uma gastronomia cheia de história e sabor!

Não é a toa que a tapioca ganhou sucesso em todo o solo brasileiro na busca da substituição do pão. Através da tapioca que toma conta da mesa dos brasileiros, tanto no café da manhã, quanto no jantar, na busca da redução do gluten e a lactose de suas dietas.

Mesmo na moqueca, prato típico nordestino, receitas saudáveis e veganas surgem oferecendo mais saúde ao sabor já conhecido das moquecas de siri mole, camarão e peixes regionais, como a moqueca de caju.

MOQUECA DE CAJU

Azeite de dendê

6 cajus cortados ao meio e espremidos com a mão, temperados com sal e pimenta branca

2 cebolas em rodelas

2 tomates maduros em rodelas

1 pimentão verde em rodelas

1 pimentão vermelho em rodelas

1/2 molho de coentro picadinho

300 ml de leite de côco

1/2 pimenta dedo-de-moça inteira

Colocar os legumes em panela de barro, colocando em camadas com o caju, acrescentando o leite de côco e deixar cozinhar por 15 minutos depois da fervura.

Corrigir o sal, se necessário.

Finalizar com a pimenta e o azeite de dendê, abafando por 3 minutos.

Pronto!

Você tem uma moqueca vegana e baiana para alegrar a sua vida!

PS – Receitinha escrita a quatro com a minha querida amiga e nutricionista Diva Rocha Lima, direto de Salvador, Bahia.

MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA