(DES) ABASTECIMENTO EM TEMPOS DE CRISE

Quem me segue nas redes sociais sabe que adoro uma receitinha…

Mas acho que chegou a hora de olharmos para dentro das nossas casas e listar o que temos de alimentos e manter o suficiente para o período que teremos que ficar um casa.

Não é hora de desperdiçar alimentos fazendo receitas novas de doces, ou comidas excêntricas para se “divertir” no período de isolamento, mas sim de fazer o aproveitamento dos alimentos da estação.

É hora de voltarmos ao “bom e velho arroz com feijão”. Ensinar nossos filhos a fazerem pratos equilibrados com arroz, feijão, carne e legumes. É disto o que precisamos agora.

Postar receitas com múltiplos ingredientes, cometer excessos ou comidas de calorias vazias como doces ou bebidas não me parece uma boa atitude para quem não sabe por quanto tempo teremos que ficar dentro de casa…

O inverno se aproxima, precisamos ajustar a quantidade de alimentos que precisamos.

É claro que os mercados não vão conseguir abastecer todos os insumos… a maior parte das pessoas alimentava-se diariamente nos restaurantes que estão fechando dia a dia. E agora as casas que não recebiam nenhum individuo para o almoço, agora contam com a família inteira todos os dias para todas as refeições…

Educação alimentar, economizar para não faltar.

Assustador ver as pessoas esvaziando as prateleiras e enchendo os porta-malas de refrigerantes ou bebidas alcoólicas… 

Consciência, pessoal.

Vamos lembrar das refeições que a nossa mãe servia em casa, comida de verdade!

É o que precisamos agora para enfrentar a crise, vamos esquecer as firulas gastronômicas e pensar em nossa saúde…

O primeiro alimento da humanidade é o pão, “o pão nosso de cada dia”. Tarefa que nossas mães faziam tranquilamente e que hoje transformamos no simples ato de pegar um pacote no mercado e colocar no carrinho. ‘Largamos” no armário da nossa casa e deixamos lá, “para quem quiser”.  Esquecemos a importância de sentarmos juntos a mesa e dividirmos o pão com a nossa família.

Por isto, aí vai a receitinha do pão que fiz ontem, rende dois pães, um você usa e o outro você embala direitinho e congela, para descongelar, é só tirar do freezer uma horinha antes de servir.

PÃO INTEGRAL CASEIRO

Ingredientes:

2 colheres (sopa) de açúcar mascavo

25 g de fermento fresco para pão

400 ml de água morna

100 ml de óleo de girassol

1 colher (sobremesa) de sal

2 xícaras de farinha de trigo integral

1 xícara (chá) de aveia

1/2 xícara (chá) de gérmen de trigo

1 xícara (café) de semente de linhaça

farinha de trigo até dar o ponto

Modo de Preparo:

Em um bowl, misture o fermento com o açúcar, adicione a água morna e acrescente mexendo sempre os outros ingredientes.
Em uma superfície lisa e enfarinhada, sove bem a massa e deixe crescer até dobrar de volume.
Faça uma bolinha com a massa e forme os pães, coloque em forma de pão ( se for de silicone não precisa nem untar).
Deixe crescer novamente.
Leve ao forno a 200º C, por aproximadamente 30 a 45 minutos (observe, já que o tempo pode ser alterado, dependendo do forno).

É isto, comidas simples para enfrentar situações complexas. 

DRA. MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA

Alimentação e Imunidade, como suas escolhas podem lhe auxiliar em tempos de contaminação…

“Que teu alimento seja teu remédio e que teu remédio seja teu alimento”. Essa frase foi dita por Hipócrates (460 – 377 a. C.), o “pai da medicina” e reflete muito bem o importante papel da nossa alimentação como um dos mais relevantes fatores promotores de saúde.

O estado de saúde é definido pelo funcionamento adequado do sistema imune do indivíduo. O sistema imune é complexo, distribuído por todo o corpo e altamente ativo.  Assim, para que o sistema imunológico funcione de maneira adequada, é necessário que nutrientes apropriados (como glicose, aminoácidos e ácidos graxos) sejam ingeridos na quantidade e qualidade corretas. Podemos dizer que, ambos os extremos da dieta – como a desnutrição e o alto consumo de gorduras – podem provocar alterações da função imunológica e danos graves aos pacientes.

Sabemos que estados infecciosos decorrentes de uma deficiência da imunidade podem ocasionar má nutrição:

  • Infecções intestinais que podem alterar a absorção e a biodisponibilidade de nutrientes.
  • A febre incrementa o requerimento calórico (cada grau a mais eleva a necessidade calórica em 7%).
  • Infecções crônicas incrementam a glicogênese/ lipogênese.
  • A maioria das infecções altera o metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas, balanço eletrolítico e níveis de micronutrientes.
  • As alterações das secreções hormonais (principalmente corticosteróides) durante flutuações da imunidade interferem no metabolismo de nutrientes.

Sabendo disto, em tempos de contaminações e riscos de doenças, o melhor é prevenir!

Como cuidar de você?

  • Lave bem as mãos, com água, sabonete e álcool gel.
  • Cubra o nariz e a boca ao espirrar.
  • Não compartilhe objetos pessoais.
  • Evite cumprimentos com beijos e apertos de mão.
  • Mantenha os ambientes ventilados sempre que possível.

Como cuidar de sua alimentação?

  • Evite ambientes muito cheios, prefira restaurantes que tenham espaços ao ar livre.
  • Evite saladas e alimentos crus, a menos que o restaurante tenha boas práticas na manipulação.
  • Pedir comida em casa pode ser uma boa opção para evitar contatos desnecessários.
  • Beber bastante água ao longo do dia.
  • Dormir bem pelo menos seis horas por noite.
  • Consumir alimentos ricos em vitamina C, como frutas cítricas ( laranja, limão, abacaxi, morangos).
  • Incluir frutas oleaginosas como castanhas, nozes e outras, são ricas em vitamina E, zinco e selênio que ajudam na imunidade.
  • Use iogurtes, são importantes alimentos reguladores da sua saúde intestinal.
  • Use alho, cebola e cúrcuma na preparação da comida.
  • Coloque fontes de ômega-3 na sua dieta, como salmão e azeite oliva.
  • Use gengibre na comida e nos sucos, rico em vitaminas e com ação bactericida, ele pode auxiliar nas defesas do seu organismo.

Escolha uma alimentação equilibrada, com frutas, verduras e legumes variados e coloridos. Este pode ser o segredo para a prevenção e cura das doenças.

MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA

Mulher de fases… qual é a sua?

No Dia da Mulher paramos para receber abraços, flores, e paramos para pensar também.

Se somos tão maravilhosas assim, porque continuamos a nos sentirmos culpadas por estarmos longe dos filhos, longe de sermos modelos, longe do peso ideal, longe de seguir a dieta ideal.

Precisamos sim, parar e olhar para nós mesmas e perceber que cada momento damos o melhor de nós e que tudo o que é feito com amor é reconhecido e apreciado.

Vamos usar rosa, azul ou a cor que nos faz felizes, mas vamos sair por aí agradecendo os abraços e também fazendo nossa história.

Se somos meninas tentamos seguir o exemplo de nossa mãe, se somos mocinhas tentamos criar uma nova identidade, se somos adultas precisamos cuidar dos outros, se somos mais maduras voltamos a olhar para o que sobrou de nós. A cada fase as necessidades mudam, os prazeres mudam e precisamos buscar no essencial, que é o combustível do nosso corpo a energia para cada fase seguinte.

Fase I – Menina

Nesta fase a menina precisa de muita energia, por isto, é importante que a gente ofereça sempre vitaminas e saís minerais.

Receitinha de Vitamina de Morango

1 copo de leite desnatado

8 morangos limpos e congelados

1/2 banana coitadinha e congelada

Pronto, é só bater tudo no liquidificador.

Fase II – Adolescente

Na adolescência, a mocinha começa perceber que precisa voltar a comer as frutas e legumes que deixou de comer por algum motivo. Por isto é importante manter em casa alimentos naturais e saborosos para evitar que a adolescente vá buscar na propaganda e na internet alimentos industrializados e milagrosos que possam oferecer a identidade com o novo corpo que cria formas.

Receitinha de Sanduíche Natural

2 fatias de pão integral light

1 fatia grossa de ricota amassadinha com requeijão light, cenoura, pepino picadinhos

Alface e tomate

Pronto, é só abrir as fatias, colocar a pastinha de ricota e cobrir com alface e tomate, colocar a outra fatia de pão e embalar em filme plástico. Colocar na geladeira, este lanche dura até três dias em refrigeração, deixe vários destes prontos, a mocinha da casa pode chegar em casa com fome e servir-se a vontade, ao invés de pegar biscoitos prontos. Esta também é uma boa opção para levar de lanche para a escola ou academia.

Fase III – Adulta

Até os 35, tudo bem, a gente se divide entre estudos, trabalho, casa e filhos, sobra tão pouco tempo para cuidarmos de nós… Mas aí vem a facilidade das saladas coloridas, sempre tão necessárias para nos dar as fibras e vitaminas que precisamos para manter o pique.

Receitinha de Salada Colorida

1 prato de mix de folhas raspadinhas ( alface americana, alface crespa, rúcula, agrião, etc…)

6 tomatinhos cereja cortados ao meio

1 pepino japonês cortado em rodelinhas finas

1 cenoura pequena cortada em fios

1 colher de sopa de uva passa

1 fatia de ricota cortada em quadradinhos ( pode ser grelhadinha com gergelim)

1 colher de sopa de castanhas de caju

Molhinho feito de 3 colheres de iogurte natural marido com orégano, sal do Himalaia e pimenta branca

Muito fácil, é só misturar todos os ingredientes em um bowl e servir. Rápido, você não tem desculpa para sentar e fazer uma refeição completa e leve.

Fase IV – Madura

Mais uma fase para a mulher conhecer e se reconhecer. Muitas coisas mudam em seu corpo, a massa magra insiste em dar adeus, as gordurinhas insistem em querer achar espaço em nossa cintura, o sono parece querer fugir, além da guerra hormonal que assistimos todo o dia em nosso corpo. Nesta fase a mulher precisa se preocupar em repor o cálcio e escolher alimentos leves e nutritivos.

Receitinha de Omelete Funcional

2 ovos

1 fatia de ricota coitadinha em cubos

1 colher de chá de alho

1 colher de sobremesa de alho poró

1 xícara de brócolis picadinhos

Em uma frigideira colocar um fio de azeite de oliva e saltear os alhos e os brócolis.

Bater os ovos com um pouquinho de leite desnatado, temperando com sal rosa e pimenta cinco bayas. Colocar na frigideira, colocar a ricota, baixar o fogo, tampar.

Assim que estiver dobradinha, pode servir.

A cada fase uma necessidade, e para cada uma delas a nutrição e a gastronomia poderão lhe auxiliar com maestria!

Feliz Dia da Mulher!

MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA