Uma Páscoa diferente…

Quando eu era criança, a Páscoa iniciava realmente na Sexta-Feira Santa, com idas a igreja a noite, sem missas. Me parecia um pouco estranho aquilo tudo. Mas no domingo levantávamos e íamos a missa e pronto, tudo tinha voltado ao normal. Família reunida, churrasco na volta, um coelho de chocolate me esperava. Todos os anos eu ganhava o mesmo coelho de chocolate, de orelhas grande ( que eu comia ainda no domingo) e pedacinhos de chocolate branco que eu degustava devagarinho, pois sabia que só teria outro dali a um ano…

O tempo foi passando e a minha maneira de ver a Páscoa mudou, seguia os ritos da família mas não dava tanto valor. Quando vieram os filhos, a Páscoa voltou a ter cor e a casa encheu-se de pegadinhas de coelho, de panelas com restinhos de amendoim que enchiam cascas de ovos que ficávamos guardando durante um mês, e o domingo de Páscoa? Ah, este tinha um gosto melhor ainda, pois com a família crescendo, com os gritos das crianças, era realmente um dia muito feliz.

Os filhos cresceram e as famílias foram se renovando, mesmo tentando manter as tradições da Páscoa, mantivemos os almoços com marcela e ovos de Páscoa, mas o essencial que era ir a missa e rezar por uma renovação no mundo, por vezes ficava para trás.

Este ano a Páscoa realmente é diferente. Não temos mais a escolha de reunir a família, não temos a escolha de ir a missa, não temos a escolha de ir e vir sem colocar as pessoas em risco. 

Mas temos a escolha de ficarmos quietinhos em casa, de rezarmos para a renovação do mundo. De fazermos nossos ninhos caseiros e cheios de amor em casa e ofertarmos a quem amamos o principal: o amor.

Uma Páscoa diferente, mas de alguma forma aquele coelhinho da infância chegou até mim, e, com parcimônia, vou comer hoje só as orelhas, nunca se sabe o dia de amanhã…

Feliz e Abençoada Páscoa para você e a sua família!

MARLISE POTRICK STEFANI 

NUTRIÇÃO | GERIATRIA | COACHING | 

QUALIDADE DE VIDA | GASTRONOMIA